Bebe Rexha fala sobre novo álbum, composições e assédio em podcast

Bebe Rexha participou do mais recente episódio do podcast de Dan Wootton, segue a tradução dos trechos mais relevantes.
EXPECTATIONS
"Eu fico nervosa quando quero ser boa e penso demais, então espero ter feito um bom trabalho pensando demais sobre [o álbum]."

Ela também comentou o assédio sexual que sofreu no início da carreira por parte do produtor Detail quando ela tinha apenas 19 anos.
"Eu nunca usei drogas, então eu não sabia que ele estava chapado. Agora, eu sei que se eu fosse mais madura e esperta, teria percebido algo. Ele começava a massagear minhas pernas e as pessoas com as quais eu trabalhava na época simplesmente diziam 'Lide com isso, precisamos de uma música de sucesso'. E eu ficava furiosa, naquela sala cheia de homens e eu ficava assustada em falar contra o maior produtor dali com tantos sucessos. Ele era um merda mas ninguém dizia nada.
Eu me sentia bem comigo o suficiente pra dizer não. Você não vai massagear meus pés e dizer que vai comprar vestidos para eu usar no estúdio, ele ligava meia-noite pra saber que cor de batom eu estava usando, era demais. 
(...) É por isso que o poder de escrever minhas próprias canções me deu suporte. (...)
Nós mulheres sofremos uma lavagem cerebral para acreditar que nosso poder está entre nossas pernas, mas na verdade está em nossa mente."


Ela comentou o sucesso inesperado de Meant to Be no Reino Unido e em sua carreira:
"Eu cresci ouvindo Britney Spears e queria fazer sucesso imediatamente, a indústria e os tempos mudaram, mas eu não esperava que meu maior sucesso fosse uma parceria country."

Sobre compor The Monster, sucesso de Eminem e Rihanna:
"Eu escrevi a música em Nova Iorque, procurei frases online e achei uma que dizia: 'Paramos de procurar os monstros debaixo da cama quando percebemos que eles estão dentro de nós.' A música é sobre se aceitar com todos os seus demônios e imperfeições. (...) Acho que escrever músicas me permitiu continuar lutando pela minha carreira, eu chamo isso de O Poder da Caneta."
Ela finalmente apresentou a música com o rapper esse ano, no festival Coachella em 15 de abril:
"Eu recebi uma ligação dizendo que Eminem queria que eu cantasse The Monster com ele no Coachella e eu não acreditava, não parecia real e eu me lembro de ficar com os olhos cheios de lágrimas no palco porque, quando tudo aconteceu com essa música, eu estava entrando na indústria, estava começando a entender como tudo funcionava e isso me deixou de coração partido porque quando você escreve sua primeira música de sucesso, você pensa que isso vai mudar sua vida, mas se você não tiver as pessoas certas com você... Naquela época, achei que foi a melhor opção pra música ter sucesso. E quando eu estava no palco com ele, pensei 'Caramba! (...) finalmente no palco com ele, sinto que posso superar isso agora".

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.